>> Perguntas e respostas por Jan Beyer, #01 (2008.Mai)

Coloca aqui as questões/sugestões que gostarias de endereçar à LEGO.

Nós fazêmo-las chegar ao destino!
Responder
Avatar do Utilizador
Conchas
Direcção
Direcção
Mensagens: 15148
Registado: 26 jan 2007, 15:20
Localização: Feijó (Almada)
Contacto:

>> Perguntas e respostas por Jan Beyer, #01 (2008.Mai)

Mensagem por Conchas » 11 jun 2008, 17:21

Em baixo as respostas às perguntas enviadas em Maio.2008

Respostas por Jan Beyer (Project Manager, LEGO Community Development):

#1 - Que material foi utilizado para fabricar as árvores granuladas dos anos 70?

Jan, será que nos pode esclarecer acerca da origem do material utilizado para fabricar a parte verde nas árvores LEGO granuladas, dos principios do anos 70?
- Era ABS reciclado, originado em desperdícios da produção de outras peças?
- Eram desperdícios triturados, originados de peças produzidas com defeito?
- Eram os grânulos que compõem a matéria prima, utilizada para produzir peças novas?

Eu verifiquei que para o mesmo modelo de árvore, existiram variantes em que os grânulos assumiam formas parecidas com pequenos cubos, maiores e menores, ou então a forma de pequenos grânulos com aspecto cilindrico.

Como resposta à vossa pergunta, o material utilizado para produzir as árvores LEGO granuladas era a mesma matéria prima que é utilizada para derreter e produzir novas peças LEGO.

Era normal existirem diferenças e variações nos grânulos.


#2 - Referências de sets com sufixos

Podem explicar porque a razão a LEGO, em determinada altura reutilizou referências em sets diferentes?
De tal forma que mais tarde os mesmos passaram a ser referênciados com um sufixo extra.

Em práticamente todos casos, nem sequer existe qualquer semelhança ou relação entre os sets em causa.
Apenas alguns exemplos: 210-1/2, 325-1/2/3, 371-1/2/3, 615-1/2

Também aconteceu o oposto (o mesmo set com referências diferentes), mas nesses casos tanto quanto sei, ficou a dever-se a re-edições do mesmo set, ou edições em continentes diferentes do mesmo set (Europa vs US).

Incluo parte da folha de encomenda de Outubro de 1955 (ver anexo em baixo), pois penso que explica o "sistema" de numeração dos produtos. Quando um produto tem o número de artigo 625 (camião) o atrelado que corresponde a esse mesmo camião tem o número 625/1.

O conjunto 700 tem um número de sets adicionais e todos eles têem sufixos /n


Pessoalmente acho que ou o Jan não entendeu exactamente a pergunta colocada, ou se desviou um pouco da mesma.


#3 - Sets com sacos numerados

Podem clarificar, porque é que alguns sets trazem as peças divididas em sacos numerados e referênciados nas instruções, enquanto que outros não?
Quais são os factores decisivos que conduzem à tomada desta opção, ou não, para um determinado set.

O tamanho dos sets ou a sua complexidade de construção, não aparentam ser o critério utilizado.
Em alguns casos existem também sacos não numerados, entre os restantes numerados.

É a complexidade da construção e com o sistema de sacos numerados podemos fazer sets para grupos etários mais baixos. Portanto podem normalmente encontrar sacos numerados para crianças mais novas.
Se existir entre estes um saco não numerado, então é porque contém peças que são utilizadas em diversos passos mas que não foram colocadas nos sacos correspondentes.


#4 - Qual o critério utilizado para a divisão das peças pelos sacos?

Podem explicar qual é o critério utilizado para dividir as peças de um set, pelos diversos sacos que são colocados dentro das caixas dos sets?

A experiência diz-nos que a sequência e montagem, não parece ser o critério em muitos dos casos. Especialmente naqueles em que os sacos ou parte deles, não estão numerados.
A similaridade entre peças parece ser o critério nalguns poucos casos (especialmente no caso de pinos TECHNIC, ou peças semelhantes), mas não na grande maioria dos casos.
Portanto uma organização baseada na proximidade de produção dentro das instalações, ou proximidade de armazenamento, não parece também ser o critério adoptado.
Algumas peças são mesmo fornecidas fora de qq saco, quando por vezes existem também outras idênticas dentro de algun(s) saco(s).

Para os conjuntos em que existe uma sequência de sacos numerados é esta que define quais as peças que entram em que sacos.
Para todos os sets restantes, é a optimização da linha de produção que define em que saco entra cada peça. Todas peças LEGO são divididas em 4 grupos de pesos, por forma a que um processo de embalagem optimizado possa ser definido e assim  garantida uma qualidade adequada.

Adicionalmente, por vezes - dependendo dos elementos que constituem um conjunto. Decidimos embalar uma única peça em um saco - por exemplo, como no caso da Estrela da Morte.


#5 - Outras questões relativas ao processo de embalagem

O enpacotamento das peças (inserção dentro dos sacos), é um processo manual ou automático?

É um processo automático.

A introdução de sacos e peças isoladas nas caixas dos sets, é um processo manual ou automático?

É um maioritáriamente um processo manual.

#6 - C-3PO Chrome Gold - Porque não para a Europa também?

Podem comentar, porque terá a LEGO decidido inserir aleatóriamente 10.000 C-3PO chrome gold minifigs (edição limitada), dentro dos sets Star Wars no mercado Norte Americano, num acto promocional comemorativo dos 30 anos SW, deixando os consumidores Europeus de fora desta apetecível initiativa?

Não será esta uma forma de incentivar os mercados paralelos de transacção de peças, a preços extremamente inflaccionados, o que não constitui uma vantagem nem para a LEGO nem para os seus muitos consumidores Europeus?

Caso tenha sido uma iniciativa local da LEGO US, não deveria esta ter sido extendida globalmente pela TLG antes de ser colocada em prática?

Foi uma iniciativa do pessoal de Marketing do LEGO SW. Eles tentaram torná-la uma iniciativa global, mas infelizmente as outras áreas de marketing não se mostraram tão interessadas em utilizar parte do seu orçamento para esta iniciativa e preferiram gastá-lo noutros produtos ou linhas de produto que acharam mais importantes para os seus mercados. Portanto acabou por se tornar numa iniciativa exclusivamente destinada aos Estados Unidos.

#7 - Proporções do brick

Porque é que o brick básico LEGO tem a proporção 5 x 5 x 6, em vez da aparentemente mais lógica 1 x 1 x 1?

Isto torna a possibilidade de construir em direcções diferentes do "peça-encaixada-sobre-peça" muito mais difíceis e pouco naturais.
Parece-me que a TLG já há muito que reparou nesta limitação ao inventar o sistema Modulex e mais recentemente porque praticamente todos os novos conjuntos TECHNIC (um tema que tem uma tendência natural para ser construído em direcções estranhas) usam a classe "studless" de peças, cuja proporção é a 1 x 1 x 1.
Reconheço que, após tantos anos de 5 x 5 x 6, uma mudança na proporções básicas dos bricks resultaria numa quebra monumental de retrocompatibilidade, e ninguém, especialmente os AFOLs e a própria TLG o pretenderiam. No entanto, como curiosidade, gostaria de saber a(s) razão(ões) por trás de semelhante escolha de design.

Sabem se existiram e ainda existem, documentos ou estudos matemáticos, que expliquem/suportem a decisão para esta proporção 1:1,2 (quem, como, porquê)?
Naturalmente a existência desta proporção e de algumas peças específicas são a base de técnicas actuais de construção, como o SNOT e TOPLESs.
Contudo não creio que tenha sido originalmente planeado desta forma, mas antes uma descoberta muito posterior, que tira vantagem desta geometria.

Continuo a aguardar resposta do nosso Laboratório de Design mas resumidamente tem a ver com o facto de os nosso modelos não ficarem com tão bom aspecto se os 'bricks' tivessem a proporção 1x1x1. Se conseguir obter mais informação, fala-ei chegar até vós.


Perguntas e respostas originais:

#1 - Which was the material used to produce the LEGO Granulated Trees, from the 70s?

Jan, could you tell us which was the origin of the material used to manufacture the Green part on LEGO granulated trees from the early 70s?
- Was it recycled ABS, wasted from other parts manufacture?
- Was it triturated waste, from defective parts produced?
- Was it granules raw material, as used to melt and manufacture other new parts?

I realised that for the same tree model, there were variations where the green granules, could be larger or smaller cubiform pieces, or like small cilindrical forms.

As reply to your question about the material for the LEGO Granulated Trees was raw material, as used to melt and manufacture new LEGO elements.

It was normal that there could be differentia’s and variations in granulate.


#2 - Sets references with suffixes

Could you explain why LEGO, at certain point in time reused the same reference for different sets?
So that later they became referenced with a suffix appended.

In almost every case, those sets don't even have any similarity or relation between them.
Just a few examples: 210-1/2, 325-1/2/3, 371-1/2/3, 615-1/2

The opposite also happen (the same set with different references), but there as far as I know, they were re-editions from the same set, or the same set released in different continents (Europe vs US).

I enclose part of the October 1955 orderlist as I think that explains the “system” of product numbers. When a product has the article number 625(truck) the trailer that fits that particular truck has the number 625/1.

The LEGO gift set 700 has a number of additional sets that fit and they all have / numbers.


#3 - Sets with numbered bags

Can you clarify, why some sets get parts divided in numbered bags referenced by the instructions, while others don't?
Which are the factors that determine such option for a specific set, or not?

Set size or building complexity, don't seem to be the used criteria.
In some cases there are also not numbered bags, among the numbered ones.

It is the complexity of building and with numbered bags we can make the sets for younger age groups. Therefore you usually find bags with numbers in sets for younger kids. If there is a non numbered bag in between these bricks need to go in different building steps but fitted not in the right bags.

#4 - Which is the criteria used to dived parts among bags?

Could you explain which criteria is used to split the parts from a set, into the different bags to put inside the set box?

Experience tell us that build sequence, doesn't seem to be the criteria in many cases. Specially for those, where that bags or part of them, are not numbered.
Parts similarity seem to be the criteria in a few cases (specially for TECHNIC pins or similar), but not in the great majority.
So an organization base on factory production or storage plant proximity criteria, doesn't seem to be the case too.
Some parts come even outside any bag (in some cases parts identical to others, inside the bags).

For set’s where there is a build sequence with numbered bags that defines what bags the elements go in to.

For all other set’s it is the optimization of the line set up that defines the bags. All LEGO elements is divided in to 4 weight groups from whom the optimal pagaging can be performed in order to ensure the right quality.

In addition to this we sometimes – depending on the elements in the set. We decide to package only one element in to one bag – e.g. like in the death star.


#5 - Other questions related with packaging process

Is parts packaging (insertion into bags), an automated or manual process?

It is an automatic process.


Is bags and isolated parts insertion into set boxes, an automated or manual process?

It is mostly a manual process.

#6 - C-3PO Chrome Gold- Why not for Europe too?

Can you comment on, why LEGO decided to randomly include 10.000 limited edition C-3PO chrome gold minifigs, inside SW sets in NA market as a promotion for the SW 30th anniversary, while left the European costumers out of this appealing inittiative?

Isn't it a form to incentive the parallel markets of parts transaction at extremely inflated prices, which does not constitute a win-win business for LEGO neither for its large European costumers base?

If it is was local initiative from LEGO US, shouldn't it have been extended globally by TLG before being put in practice?

It was a local initiative from the LEGO SW Marketing people but they tried to make it global but unfortunately the other marketing areas were not so interested in using part of their marketing budget like that and put it instead into other products/product lines they felt more important for their markets so it happened to be US only.

#7 - The Brick Proportions

Why does the basic LEGO brick have a 5x5x6 proportions, instead of the seemingly more logical 1x1x1?

This makes building in directions other than "piece-stacked-on-piece" much harder and unnatural.
It seems to me that LEGO has already noticed this limitation long time ago with the Modulex brick and more recently because practically all new TECHNIC sets, a theme that has a natural tendency to be built in odd directions, use the "studless" class of pieces, whose proportion is 1x1x1.
I acknowledge that, after so many years with 5x5x6, a change in basic brick proportions would result in a monumental break in retrocompatibility, and nobody, especially AFOLs and LEGO themselves, would want that. Yet, as a matter of curiosity, I'd like to know the reason(s) behind such a design choice.

Do you know if there were and still exist, documents or mathematical studies, that explain/support the decision for such 1,2 proportion (who, how, why)?
Of course this proportion and some specific parts are the basis of actual construction techniques, like SNOT and TOPLESs. Although I don't think it was originally planned, but a much later discovery, which takes advantage of this geometry.

I still wait on a response from our Design Lab but shortly it is that our models will not look so nice if the Bricks would be in the 1x1x1 proportion. If I get more info I will let you know.
FCorreia
We are working to build a better :plug:
LEGO Fan, a lifelong experience - Play Well (Leg Godt)

Sanjoanense Imagem 2019    3-5.Mai

Avatar do Utilizador
AVCampos
Sócio
Sócio
Mensagens: 12975
Registado: 27 fev 2007, 19:26
Localização: Barreiro
Contacto:

Re: >> Perguntas e respostas por Jan Beyer, #01 (2008.Mai)

Mensagem por AVCampos » 11 jun 2008, 17:55

[quote="Conchas"]
resumidamente tem a ver com o facto de os nossos modelos não ficarem com tão bom aspecto se os 'bricks' tivessem a proporção 1x1x1.[/quote]
:D
Mais uma vez, o Technic dá preferência ao funcional sobre o estético... ;)

Ricardo T
Hero Member
Hero Member
Mensagens: 1226
Registado: 27 jul 2006, 01:37
Localização: Queluz

Re: >> Perguntas e respostas por Jan Beyer, #01 (2008.Mai)

Mensagem por Ricardo T » 12 jun 2008, 01:50

[quote="AVCampos"]
Mais uma vez, o Technic dá preferência ao funcional sobre o estético... ;)
[/quote]

Como diriam no anúncio: Cada vez menos. Funcional, cada vez menos... :(
Ricardo Oliveira

Responder